O cometa que virou “astro pop”…

Me desculpem, mas não resisti fazer esse trocadilho aí do título para falar dos 25 anos do último periélio do cometa Halley.

Os meus leitores em tenra idade poderão se perguntar: “1º – O que diabo é um ‘periélio’?!” “2º – Porque o autor deste blog publicaria um post com esse ‘papo brabo’ sobre cometa?!”

Ok, meus pupilos! O “titio” explica:

Periélio (ou perélio), em astronomia, é o ponto da órbita de um corpo, seja ele planeta, planetóide, asteróide ou cometa, que está mais próximo do Sol. Quando um corpo se encontra no periélio, ele tem a maior velocidade de translação de toda a sua órbita. Quando o corpo em questão estiver orbitando qualquer outra estrela que não o Sol, utiliza-se o nome genérico periastro para identificar esse ponto. Por exemplo, a distância entre a Terra e o Sol no periélio é de aproximadamente 147,1 milhões de quilômetros. Isto ocorre uma vez por ano, próximo do dia 4 de janeiro.

Primeira pergunta respondida, agora passemos à segunda:

O cometa Halley é um cometa brilhante que retorna às regiões interiores do sistema solar a cada 76 anos, aproximadamente. Sua órbita em torno do Sol está na direção oposta à dos planetas e estende-se além da órbita de Netuno. Foi o primeiro cometa a ser reconhecido como periódico, descoberta feita por Edmond Halley em 1696.

O cometa foi registrado pela primeira vez em 240 a.C. e mostrou-se visível a olho nu em todas as suas 30 aparições registradas. O sucesso da predição de Edmond Halley do retorno de seu cometa em 1759 foi considerado como uma prova sensacional da lei da gravitação de Newton.

“Tá, mas… e daí?!” – alguns devem continuar se perguntando…

E daí que a última aparição do Halley, em 1985, marcou toda uma geração (a minha geração). Foi, talvez, um dos maiores espetáculos midiáticos da década de 80! Quem não é dessa época não tem noção do que foi aquilo…

Cobertura total da imprensa e uma verdadeira infinidade de produtos com a marca (isso mesmo! Alguém patenteou uma marca com o cometa) sendo vendida em praticamente todas as esquinas de Campina Grande a Budapeste e de Tókio a Quixeramobim! Até LP (vinil) foi lançado com a trilha sonora do cometa (tinha uma musiquinha que passava na Globo a qual só me lembro o refrão que dizia: “Halley… olhem pro céu…”). Além disso, era toda espécie de bugingangas que se possa imaginar: tênis, meias, camisetas (eu tinha uma!), bonés, relógios de plástico… O astro celeste foi transformado em “astro pop”!

1985 era o Ano Mundial da Juventude pela ONU. Os jovens, como poucas vezes na História estavam “crescendo e aparecendo” e, consequentemente, se tornando alvos primários da indústria cultural. O Brasil acabara de sair de uma ditadura de 20 anos e precisava de heróis e esperança (mesmo as que só viessem do céu). E de tanto olhar para o céu em busca de ver o cometa, o planeta acabou descobrindo nesse mesmo ano o buraco na camada de ozônio!

Em 1985 a humanidade já tinha 28 anos de “era espacial” e uma frota de espaçonaves, inclusive a sonda Giotto, que fora enviada para observar o cometa. Estavam também planejadas duas missões do Halley Espacial – a STS-51-L que resultou na destruição trágica do Challenger (em que os seis tripulantes morreram na explosão no momento da decolagem) e a STS-61-E – ambas observariam o cometa a partir da órbita terrestre baixa.

A STS-61-E seria a próxima missão a decolar após o final do voo do Challenger. Agendada para Março de 1986, transportaria o observatório ASTRO-1, uma plataforma de estudo do Halley. A missão foi cancelada e o Astro-99, com uma nova circunferência de telescópios, somente foi ao espaço no final de 1990.

A passagem do Halley, 25 anos atrás mexeu não só com o jeito da humanidade olhar para o espaço, mas para o nosso próprio planeta. Além disso, mostrou mais uma vez a força da indústria cultural na nossa sociedade consumista. Desde o Halley, ficou cada vez mais comum a gente adquirir coisas banais. O jornalismo mostrou que tudo pode ser notícia (desde que interesse aos seus objetivos de lucro) e a publicidade estabeleceu sua força, capaz de vender desde “nuvens enfiadas num cordão” a cometas intangíveis no espaço sideral.

O próximo periélio do cometa Halley será em 28 de julho de 2061. Se eu estiver vivo daqui pra lá, estarei com 86 anos. Provavelmente não estarei mais escrevendo este blog. Provavelmente estaremos vivendo num mundo completamente diferente do que vivemos em 1985 e desse em que vivemos hoje. Contudo, espero sinceramente que o Halley traga consigo novas lições para a humanidade, e que esta saiba desempenhar seu verdadeiro papel no universo, assim como o heróiAthur C. Clarke!

Anúncios

12 comentários sobre “O cometa que virou “astro pop”…

  1. Lembro bem deste período, eu estudava no Colégio Santa Bartolomea Capitanio.Temos a mesma idade Silvio, realmente o cometa foi muito explorado pela mídia. Pode parecer babaquice, mas tinha até um personagem, não lembro ao certo, mas acho que era no programa infantil “Balão Mágico”, com a mesma alcunha do cometa. Gostei do texto. Outra coisa, nenhum de nós, “bebuns de 30 anos”, estaremos por aqui na próxima passagem do Halley. Como dizem alguns: “Só se for feitiço!” (risos). Abrax.

  2. pode crê Silvio, eu lembro no Brasil tava rolando o primeiro Rock in Rio, tinhamos chicle de bola (PLOC) com figuras do Haley,e as outra bugingagas q vc citou, aí bem lembrado eu não lembrava que isso fazia parte da minha geração também…
    abraços

    • Porra, é isso mesmo!
      Nem me lembrei de citar o Rock in Rio!
      E hj eu passei o dia inteiro tentando encontrar um bom tema para o próximo post! rsrsr
      Valeu, mano véio!
      Grande abraço!

  3. ei rapa vc me trouxe devolta no tempo, lembrome muito bem disso tudo, infelizmente, rs.

    O caso é q estava la , me desloquei com uma multidão , na minha cidade (tres Pontas ) MG. Era um alvoroço só, ,mais perdi tudo curtindo um outro cometas que na epoca era minha namoradinha, hehehe, esse sim fez estrago.
    Parabens novamente
    Belo Texto.

  4. Lembro-me daquele ano eu tinha quatorze anos a expectativa era grande a imprensa noticiava constantemente a aproximaçao do halley missoes espaciais foram enviadas ao seu encontro. Comprei meu primeiro telescopio e o mapa celeste e as tres ediçoes da revista em quadrinhos da famlia halley. Naqueles dias o Halley deu um swow proximo ao horizonte pouco antes do amanhecer foi a primeira vez que vi a passagem de um cometa .
    Gostei muito do tema e gostaria que voce continue atualizando pois o cometa Hlley e a Missao Voyager sao meus temas favoritos.
    Parabens pelo tema
    PARABENS PELO OTIMO TRABALHO
    Um abraço e que Deus te abençoe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s