DESPERTAR

Para ele, não havia melhor coisa no mundo do que acordar de manhã, olhar para o lado esquerdo da cama e vê-la dormindo, ressonando como um anjo que sonha deitado nas nuvens. Para ele, não havia coisa melhor no mundo do que acordar e ter a certeza de que tudo que viu e sentiu na noite anterior não havia sido apenas um sonho vulgar.

Ela estava, de fato, lá. E seus cabelos tinham o dourado dos raios do sol matutino. Sua pele tinha a alvura das neves de terras distantes. Sua boca possuía a frescura do orvalho da madrugada e seu corpo, a maciez do canto dos pássaros.

Lá estava ela – de fato: o amor da sua vida. O amor encarnado em todo seu esplendor e glória. E seu coração batia acelerado, enquanto seu corpo ardia em chamas de paixão e desejo.

De repente, como se adivinhasse que ele estava a velar seu sono na penumbra do quarto, ela despertava docemente, abrindo seus olhinhos azuis de turquesa e seu sorriso iluminava o cômodo, como se fosse o sol desvirginando a madrugada.

25 de novembro de 2011

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s